quinta-feira, 5 de junho de 2008

Comentários de Mario Kertész...

O radialista e ex-prefeito Mario Kertész, hoje pela manhã no Jornal da Bahia no Ar,na Rádio Metrópole, dentre tantos assuntos, comentou a aliança entre PR e DEM, a situação do PT na sucessão municipal e nepotismo na Assembléia Legislativa.
Mario, com sua grande experiência política, acredita que Pinheiro deveria renunciar sua candidatura ao Thomé de Souza em favor de Olívia Santana, pois essa "frente de esquerda" representa uma coisa "chata, velha hipócrita e mentirosa (...) que ninguém engole mais". Além disso, criticou os políticos que ainda acreditam numa militância política, pois, para ele, as militâncias já não pesam no processo eleitoral por estarem desgastadas.
Kertész acredita que Jaques Wagner se engana em pensar que tem 3 candidatos na base aliada. Para o radialista, ele só tem 2: João Henrique e Pinheiro, ainda (o apresentador fez questão de frisar o advérbio). Polemicamente, ele acrescentou: “O PT comeu mosca e ficou isolado, somente com os parceiros tradicionais de sempre que nunca acrescentaram quase nada”.
Fugindo um pouco do foco temático do blog, as eleições municipais de Salvador, vale a pena comentar a denúncia de nepotismo do Presidente da Assembléia Legislativa, Marcelo Nilo. Segundo um funcionário de um gabinete da Assembléia, Nilo emprega os namorados de suas duas filhas em cargos de confiança. Segundo a denúncia, publicada pela Metrópole ontem, um dos cargos ocupados deveria ser concursado pelo fato de oferecer salário superior a R$ 15 mil, fato negado pelo deputado. "Ele deve receber uns R$4 ou R$5 mil", disse.
Ao defender-se, o deputado afirmou que "quase genro não é parente" e disse que foi uma coincidência: "A indicação não foi minha, foi do superintendente parlamentar, fruto dos currículos que ele recebeu e eu nomeei, também não posso vetar uma pessoa porque tem um vínculo com um familiar meu, ele está no cargo pelos méritos dele”.
Outras extravagâncias de Nilo foram a compra de 63 carros Vectra, para os deputados, e depositar R$ 9 mil para cada um, destinado a gastos com combustível.

É um absurdo!

Fonte: Rádio Metrópole
Aproveite para ouvir o áudio do programa no Blog do Mário

2 comentários:

Elton Alonso disse...

Só para relembrar: a bomba de Severino Cavalcanti começou com denúncias de nepotismo. Quero só ver se a Assembléia não tomará qualquer atitude em relação a isso.
E outra coisa que pergunto é onde está o povo baiano?
Será que isso vai ficar impune??
Sou estudante de Direito e tenho amigos recém formados que penam muito para conseguir qualquer trabalho digno. Nilo diz que o futuro genro não é recém formado. Como não?? Ele tem dois anos de formado e para mim ainda é recém formado.

Ellen Melo disse...

Gostaria muito que o próximo artigo fosse sobre a boca-de-urna absurda hoje no dia das eleições em Salvador! Liguei para mil órgãos militares pra saber finalmente qual era o responsável pela área que eu moro, Av. Joana Angélica - Nazazé. Cheigue a recusar vários planfetos e ainda dizendo que isso era fora da lei. Sinceramente... Além de um país ''democrático'' onde OBRIGA a votação, e minha indignação em relação a isso, ainda me acntece de presenciar policiais aceitando planfletinhos no meio da rua. Será que eles não estavam na área de trabalho deles? Porque tem essa também. Um dia fui me refugiar com um policial após um assalto e ele teve a cara de pau de dizer que aquela não era a área de trabalho dele! É de deixar qualquer um que não tenha uma visão muito positiva sobre política e outras coisinhas a mais, com muita indignação! E principalmente pra mim, que tenho 18 anos e não pude viajar pra assim então, justificar meu voto (estudos). Suei frio de tanta raiva na hora da votação. E confesso que só de piada, votei Para Vereador: Cristovão Ferreira, Cristovinho! 12622. (escuto o carro de som TODOS OS DIAS passando pela minha casa). E claro, não tinha candidato melhor, digno do meu voto para prefeito do que Hilton 50!
Votar nulo? Não tem graça! E claro, a velha camisa com os escritos: ''(filho pergunta ao pai) - O que são controvérsias papai? (pai responde filosoficamente) - É bem fácil meu filho. Por Exemplo: País DEMOCRÁTICO, Voto OBRIGATÓRIO''. Piada em sua maior essência!
Ah, e se eu odeio política? Só se política fosse sinônimo de roubos, falcatruas, desonestidade, brigas, assassinatos, proveito alheio, ambição etc... Mas não, isso quase não acontece! Por Ellen Melo